Nutricionista trabalhando em seu consultório

Consultório de nutrição: como montar o seu

Entender como montar um consultório de nutrição pode ser um grande desafio tanto para
quem acabou de se formar quanto para quem já atua na área mas quer ter seu próprio
negócio. Afinal, além de toda a burocracia, é preciso levar em consideração uma série de
fatores, como decidir entre compra ou aluguel do consultório, localização, compra de
móveis e equipamentos, contratação de colaboradores.

Isso significa um alto investimento. Para facilitar essa tarefa, nós listamos os principais
passos a serem seguidos para que você tenha seu espaço profissional e conquiste uma
carreira de sucesso. Acompanhe!

1) Definição do seu público

O primeiro passo para montar seu consultório de nutrição é definir qual será sua área de
atuação. Isso é que dará o norte para as etapas seguintes. Alguns exemplos de segmentos
que você seguir são:

• nutrição infantil;
• nutrição em geriatria e gerontologia;
• nutrição e suplementação esportiva;
• nutrição aplicada a prevenção ou tratamento de doenças;
• nutrição em oncologia;
• nutrição para gestantes;
• nutrição aplicada à estética;
• nutrição voltada ao combate à obesidade.

Escolher um ramo específico é uma estratégia muito eficaz para atrair pacientes. Isso
ocorre porque eles sentem mais confiança e percebem que suas necessidades realmente
serão atendidas ao procurarem um nutricionista especializado.

2) Prefira uma localização privilegiada

A localização do consultório é um ponto chave para o sucesso. Afinal, de nada adianta você
ser um excelente profissional, mas seu consultório ficar em um local de difícil acesso,
pois isso reduz drasticamente o número de pacientes.

Uma ótima opção é escolher um lugar próximo a outros profissionais da saúde. Além de
contribuir para o networking também atrai pacientes, pois a localização passa a ser bem
vista por pessoas que já costumam frequentar a região para atendimentos com outros
profissionais, como médicos, dentistas, psicólogos, entre outros. Portanto, uma localização privilegiada é mais um passo em direção ao sucesso.

3) Escolha a sala

Depois de definir a região, é hora de escolher a sala para montar seu consultório de
nutrição. Para acertar na escolha, leve em conta os seguintes fatores:

• valor do aluguel ou imóvel, no caso de compra;
• necessidade de reformas e possíveis adaptações;
• valor a ser investido em mobiliário e decoração.

Em geral, esses fatorem resultam na necessidade de um investimento alto. Outro ponto
importante é que, no caso do aluguel, muitos imóveis não aceitam reformas ou grandes
mudanças.

Mas, há uma solução excelente: os consultórios compartilhados. São consultórios com
ótima localização e com uma infraestrutura completa para você trabalhar. Ou seja,
contam com os equipamentos necessários, internet, segurança, sala de espera,
recepcionista, equipe de limpeza, agendamento online, entre outros benefícios.

E você pode escolher o plano que melhor atende às suas necessidades, como pagamento
por atendimento, por período, por mês ou outras opções. Desse modo, você conseguirá
oferecer um atendimento de excelência com um custo bem menor se resolvesse alugar,
reformar, mobiliar e gerir um consultório.

4) Equipe seu consultório

Ao optar por um consultório compartilhado, você só precisará comprar os equipamentos
necessários para os seus atendimentos. No caso da nutrição, os principais são:

• balança;
• trena antropométrica;
• adipômetro;
• estadiômetro;
• fita métrica;
• aparelho de bioimpedância.

Agora que você já sabe como montar um consultório de nutrição, não deixe de seguir este
guia. Porém, lembre-se que ao optar por um espaço compartilhado, é imprescindível
contar com uma empresa de confiança e que ofereça salas bem equipadas e com
localização privilegiada. Essa é a chave para impulsionar sua carreira!

Quer saber mais sobre o assunto? Então, não deixe de ler nosso outro post para entender
como funcionam os consultórios compartilhados. Boa leitura!

Legalização do consultório médico

Legalização do consultório – Guia Completo

A legalização do consultório é uma etapa indispensável para que você tenha autorização para atender seus pacientes no consultório. Com isso em mente, conversamos com Irian de Abreu, especialista em saneamento, básico para informar você sobre todos os passos necessários para atender com tranquilidade.

Já se perguntou o que é necessário para atender em consultórios particulares ou compartilhados?

Quais são os documentos e alvarás necessários para que você possa atender no seu consultório? Nesse artigo vamos te contar todos os detalhes sobre o processo de legalização para médicos.

Irian de Abreu, graduada em Biologia e especialista em saneamento básico, e desenvolveu uma consultoria em vigilância sanitária para médicos. Nela ensina o passo-a-passo da legalização do consultório escolhido, inclusive com os documentos necessários para dar entrada e aqueles que devem estar sempre com você caso haja uma fiscalização.

Para iniciarmos, é importante falar que a Prefeitura do Rio de Janeiro está otimizando todo o processo de documentação, podendo atualmente ser feito de forma online, diminuindo a burocracia e o vai e vêm de informações e documentações. Se o seu espaço não for na cidade do Rio de Janeiro, vale você verificar como está sendo o processo pela Prefeitura no município.

Consulta prévia no Portal Carioca Digital.

Antes de mais nada você precisa ter um cadastro atualizado no Portal Carioca Digital, com seu próprio e-mail e senha, que garantirá o acesso para tirar seu alvará. Caso seja pessoa física, e sinta a necessidade de solicitar a ajuda de um especialista, basta dar sua autorização para que ele possa realizar a consulta prévia para você. Inclusive, essa consulta prévia é muito necessária porque estabelece se o consultório está adequado a receber esse perfil de serviço.

Para te ajudar nesse processo de escolha do local do seu consultório montamos esse guia completo.

Se você for pessoa jurídica, o ideal é contratar um contador para te ajudar, porque existem particularidades em relação à Receita Federal que precisam ser cumpridas com exatidão.

Essa consulta prévia analisa o zoneamento do local, se as atividades do profissional são pertinentes ao ambiente e leva de três a quatro dias para ter um parecer do fiscal, habilitando você para os próximos passos que são:

  1. Cadastro das informações profissionais: dados do CRM ou da entidade específica da sua profissão, endereço residencial para envio de correspondências e contatos telefônicos;
  2. Liberação da Taxa de Alvará para ser paga: normalmente 24 horas após realizado o cadastro acima existe a liberação para o pagamento da taxa e com o pagamento confirmado, o Alvará é liberado imediatamente;
  3. Emissão de Guia de Pagamento da Vigilância Sanitária: com o pagamento confirmado, em até 05 dias úteis é dado o OK;
  4. Emissão no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde) com geração de um número do Estabelecimento e um número do Cartão Nacional de Saúde. Estes documentos precisam ser atualizados a cada 6 meses e não tem taxas, apenas os honorários do profissional que fez a emissão.

Para seu dia-a-dia no consultório, o profissional precisa ter à mão uma pasta com:

  1. Cópia da Carteira do Código de Atividade;
  2. Título de Especialista;
  3. Alvará de Estabelecimento: esse documento não tem validade;
  4. Alvará de Licenciamento Sanitário: esse documento tem validade de 1 ano;
  5. CNES: precisa ser renovado a cada 6 meses;
  6. Desinsetização e Desratização da Sala, fornecido pelo espaço e do condomínio: esse documento tem validade de 6 meses;
  7. Exame bacteriológico da água: deve ser fornecido pelo condomínio, com validade de 6 meses;
  8. Higienização da caixa d’água: deve ser fornecido pelo condomínio, com validade de 6 meses;
  9. Extintor de Incêndio recarregado: de responsabilidade do dono do consultório, com validade de 12 meses;
  10. Troca do filtro do bebedouro: de responsabilidade do dono do consultório, deve ser realizada a troca a cada 6 meses;
  11. Manutenção preventiva do ar condicionado: de responsabilidade do dono do consultório.
    Nesse caso é um pouco mais complexo, já que dentro de cada aparelho existem elementos que precisam ser revistos a cada mês, outros a cada 3 meses e outros a cada 6 meses.
  12. Contrato com empresa de coleta de resíduo, com plano de gerenciamento de resíduo, e substituição da caixa do Descarpack a cada 15 dias.
    Independente da troca recorrente, você precisa estar de posse desse contrato a todo tempo.
  13. Procedimento Operacional Padrão – POP: é um documento de educação continuada sem prazo de validade, onde está presente a maneira correta de execução de cada procedimento operacional, serve como uma espécie de guia para a equipe operacional que cuida do espaço;
  14. Exame Admissional e Exame Periódico dos Colaboradores: com validade de 12 meses.

Caso você utilize os serviços de espaços de consultórios compartilhados para realizar seus atendimentos, esses documentos deverão ser fornecidos para você:

  1. Caderneta de Vacina do profissional e dos colaboradores do espaço, constando toda a vacinação em dia, inclusive é obrigatório que constem as Vacinas do Trabalhador. E como já é possível de se imaginar, a vacina do COVID entrará nessa caderneta ao fim da campanha de vacinação;
  2. Certificado do Corpo de Bombeiros para o condomínio ou para o consultório: é importante salientar que caso sejam realizados procedimentos com equipamentos inflamáveis, o consultório também precisa ter o certificado do Corpo de Bombeiros.
  3. Validação da Autoclave é um documento do protocolo de validação que tem validade de 5 anos onde são feitos testes químicos e biológicos para comprovar o pleno funcionamento do equipamento, a validação deve ser feita no mínimo a cada 15 dias e o profissional que vai utilizar a autoclave deve fazer a validação.

Agora você sabe de todos os passos e todos os documentos necessários para a legalização do consultório.

No caso de espaços de consultórios inteligentes, como a Habitat, alguns desses passos já estão completos, como os que são relacionados à documentação da equipe, manutenção de ar condicionados, bebedouros e extintores de incêndio.

Tem dúvidas? Manda aqui nos comentários que iremos adorar responder.

habitat_riohabitatcompravendaelocacao_image_269

Vida de médico: o equilíbrio entre o pessoal e o profissional!

Um dos principais pontos da vida de médico é a inconstância. Em meio a consultas em consultórios e plantões emergenciais, manter uma rotina é uma tarefa complicada, uma vez que não se tem horários fixos. Portanto, conciliar os momentos profissionais e pessoais pode ser uma missão e tanto.

Fazer essa separação é fundamental e tem muitas vantagens. Afinal, dedicar mais tempo para curtir com as pessoas que você ama é importante para ter equilíbrio emocional. Dessa forma, isso também reflete na vida profissional, sobretudo quando se lida com indivíduos que podem correr risco de morte.

Para evitar os temidos erros médicos, ter uma vida equilibrada traz muitos benefícios. Por isso, confira dicas sobre como manter o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional!

Preze por momentos de descanso

Descansar não é apenas deixar o corpo relaxar e se restaurar, já que isso também deve ser feito com a mente. Ou seja, não adianta tirar um dia de folga e ficar com a cabeça pensando no trabalho. A medicina é uma área muito nobre, pois lida com vidas humanas, no entanto, se desligar completamente da função é essencial.

Você pode escolher uma infinidade de atividades para relaxar. Pode ver filmes ou séries, fazer passeios, cozinhar, ler, praticar esportes ou qualquer outra ocupação que proporcione prazer e relaxamento. Assim, com mais flexibilidade, a sua qualidade de vida será muito melhor.

Entenda os seus limites e respeite-os

É muito comum que os médicos dediquem as suas vidas para a profissão. Entretanto, é preciso entender que os limites ajudam a manter mente e corpo saudáveis. Ninguém quer ter uma estafa mental ou outros problemas relacionados ao excesso de trabalho.

Nesse sentido, o melhor a se fazer é planejar as suas atividades e ter maior controle sobre os dias de trabalho. Gerenciar a rotina de plantões e atendimentos fará com que você saiba os seus limites e encontre tempo para relaxar e recuperar as energias. Um bom planejamento é determinante para que você consiga dar conta de tudo.

Estabeleça metas para as pausas necessárias

Avaliar o estado de pacientes, realizar diagnósticos, conferir a evolução dos quadros e muitas outras tarefas e horários a cumprir — o dia a dia de um médico é cheio de atividades que exigem bastante dos profissionais. Nesse contexto, pausas são extremamente necessárias para conciliar o trabalho com a convivência familiar.

Por isso, o ideal é organizar um cronograma com os dias de trabalho e também incluir folgas. Desse modo, você terá um sentimento de satisfação por cumprir com os seus deveres, além de também investir nas suas relações interpessoais. Assim, considere os momentos de pausa tanto quanto o seu ofício.

Aprenda a delegar tarefas

Muitos médicos sofrem com uma alta pressão em seus trabalhos por pegarem toda a responsabilidade apenas para si. No entanto, saiba que outros profissionais também têm capacidade de lidar com os problemas que surgem.

Converse com a equipe e trabalhe em grupo. Saiba como delegar as tarefas para outras pessoas e otimize as atividades sem sobrecarregar ninguém. Trabalhar coletivamente melhora o fluxo do serviço, tornando-o mais leve, e o desgaste será menor.

Mesmo que a vida de médico seja bastante corrida, sempre é importante separar momentos para relaxar, como você viu. Afinal, isso também é uma forma de investir no trabalho, pois, assim, será viável recarregar as baterias para o que virá a seguir. Portanto, não subestime alguns dias de descanso na sua rotina hospitalar.

O que achou das dicas para ter mais qualidade de vida? Compartilhe o post nas suas redes sociais e mostre esses benefícios para os seus colegas!

Shopping Basket